sexta-feira, 27 de agosto de 2010

guerra sem paz

O homem é a luz do seu proprio eu
rebeldia sem cor, forte carência espiritual
armas interior.
O homem reprime sua vontade de  fazer amor

fugindo da paz , homem insolente
homem carente, frágil, digno de morrer e mata.


quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Alma

Alma

Alma
Oh! Alma intrépida
Entrega
Sua força
Para lutar por igualdade
Introduz no mundo
A razão
A sensibilidade
Oh! Alma ferida
Deixa
Inspirar
Amor
Insolúvel sentimento
Escasso nas almas que
Me cercam
linaira lago
25/04/2009

cama

cama

quero comer sobre voce
passeio trepidante vendo tv
cama
concentração
alegria
satisfação
cama
dormir
descansar
morrer
acordar.
linaira lago
24/04/2009

Amanhã

Amanhã



Retornar a viver, abrir os olhos
Fazer
Tudo igual
Sorrir
Sofrer
Pensar
Refletir
Amanhã
Viajar
Partir
Pegar estrada
Esquecer algo no caminho
Ir em frente
Amanhã o sol
Não aparecerá
Penso na chuva fria
Que molha a minha cabeça
Paro o olho no céu
Amanhã será que eu vou acordar?
linaira lago
25/04/2009

Revolta

Revolta



Meu compromisso
Não é com você
É com a natureza
Proteger as árvores
As florestas, os vales
As flores
Os rios
E os mares,
Meu sentimento não
É por você
É por todos os
Velhos
Abandonados em asilos fechados.
Maltratados
Doentes, carentes
Sem alguém que
Vá lhe fazer uma visita
Minha dor não é
De doença
É espiritual
Quando vejo tantos
Homens
Sem trabalho
Sem salário
Sem o pão
De cada dia
Sem dignidade
Sem poesia
Minha crítica
Não é social
Nem política
É humana
É honesta
É triste
linaira lago
25/04/2009