quinta-feira, 17 de novembro de 2011

CASAMENTO:

                                                                                                                             
É  um evento que mesmo quando se desfaz
é para sempre, pois o que se vive não se apaga
nem  mesmo com o tempo, as lembranças  ficaram  ali eternas
de propósito lá no fundo do poço do esquecimento.
E se um dia a raiva, o ódio despertar
a dor da saudade,  valerá um segundo de recordação
uma música que toca os ouvidos
um perfume habitual
uma atitude!
Alguma coisa vai fazer  voltar o tempo
para  perceber que o casamento
deixou marcas em voce
e por mais que possa parecer besteira
uma coisa mínima o reverso da medalha
abre caminho para  a nostalgia.
O frio da alma
a se perguntar
o que deu errado?
Neste momento, uma lágrima pode cair
e  abrir um atalho para o passado
indagações e   armadilhas da emoção
que não vai deixar voce em paz.
Com isso se percebe que o Casamento é mais
que um mero ato qualquer, o casamento é para sempre
mas, não percebemos, se durar apenas um dia ,  um ano
ou cem anos, um segundo.
O casamento é um  ato  humanistico
e a separação um crime ao nosso raciocínio lógico
E ainda pensamos que o casamento
caiu de moda,  é balela, é   só papel.
O casamento é  desejado e mesmo
quando fracassado é vitórioso
pois por alguns momentos, segundos , minutos, horas, dias...
duas pessoas foram felizes
Foram amantes
Se entregaram
Se amaram
E sonharam juntas
Algumas para sempre
outras eternamente em um segundo.
Assim é o casamento
um ato de união
um laço matrimonial
que enfeita os nubentes
mas há quem diga
que o casamento é para
prender e sufocar
que casar hoje em dia é furada
tem gente  até que acredita.
A única coisa que sei é que casamento
é para sempre, pois nada se apaga
da memória dos corações apaixonados.
A separação é  capaz de fazer
o corpo esqueçer do calor
dos abraços, das falas trocadas
dos amassos. mas, ainda assim 
O casamento sobrevive
 na força do inevitável
amanhecer, e na semente que brotou
sustentando  o sonho encantado
de amar e de ser amado.

LINA MACIEIRA

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Não tenho

Não Tenho religião tenho fé,
Não tenho um time , tenho um mundo
Não tenho um partido tenho opinião
Não ando na moda, tenho  a minha
Não  uso drogas,  tenho orgasmos
Não uso as pessoas, uso as coisas
Não falo o que ofende,prefiro ficar calado
Não tenho lágrimas,  tenho sorrisos
Não tenho fome, tenho sede de justiça
Não tenho  dinheiro, Tenho amigos
Não tenho sexo, tenho  amor
Não tenho fantasias tenho sonhos
Não tenho rancor,  tenho  perdão
Não tenho  jóias, tenho filhos,
Não tenho  um  corpo, tenho um espírito
Não tenho medo, tenho Deus
Não  tenho o sol, tenho calor
não tenho inveja ,tenho  benevolência
Não tenho assas, tenho imaginação
Não tenho  cor, tenho coragem
Não tenho  o céu , tenho o  mar
Não tenho regras, tenho exceção
E  ter ou não ter não é a questão
A questão é  ser livre
Para dividir todos os sonhos
sentir todo  o calor
todo amor
ter toda fé
ter sede
dá todas as risadas
ter tudo e não ter  nada
nesta longa  e breve  caminhada
ter a única coisa que faz  sentido
 viver intensamente sem amarras.
 aquelas que me prendem em um abismo de solidão
 ter ou não ter não  é a questão
 ter tudo não é o suficiente para ser feliz
 tudo é nada quando o tempo passa
breve é a vida
não tenho a eternidade
tenho o dia de hoje!.

domingo, 9 de outubro de 2011

Aqui



Aqui estou
essa hora
esse dia
esse mês
Aqui
sem parar                                             
sem pensar
sem poder
Aqui
 sozinho
invisível
impaciente
sem querer
sem saber
sem sofrer
Aqui
assim
assado
de esquerda
de lado
de meio;em bandas,
dividido
Aqui
cínico
sonhador
esquisito
 valente, fragilizado, insolente
Aqui sempre
sem subir,
sem descer,
sem levantar,
sem dormir ,
em  punição
Aqui
sem lê,
sem escrever,
sem declamar,
sem ser ator
Aqui
de repente parado
frustrado
 passado
martelo
que bate na cabeça quente
sem dor
sem ardor
sem marcas
procurando
ar
bebendo
água
no copo frio
áspero
aqui
Eu
ouço violinos mágicos
que tocam minha alma
eternamente
Aqui
 neste lugar.
 
07/10/2011

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

good and bad people

good and bad people


good people

merry souls

family lunch

union fever

meal on the table

people resting

bad people

spirit of pork

open sewer

dead end

private meeting

People speaking ill of the day

lights are good people

clearing the way

brightness of the sun illuminating the land

  holding hands

people sharing the bread.

Bad people are blood sugas

waste recycled

moldy bread

bad people do not cry

blasphemy and say

give off good laughs

jokes

cry

are sad

pray a novena

follow a procession

good people and bad people are equal

different in everything and nothing

Bad people need the good people

and good people need to be good

to live alongside the poor in the unequal world

sharing the same rain and the same salt

so do not share the love.

For love is within the good people and bad people

But only the good people has the courage to share it.










Pessoas boas e Ruins

domingo, 25 de setembro de 2011

VIda

Vida

Orvalho neutro
Besouro verde e brilhante
Deixa a arrogância
De lado
Balança! Balança! Balança.

Corpo ao vento
Girando em forma de luz
Acende aquecendo
O fogo
Arde, arde, arde.

Roda gigante
Arco íris encantado
Água doce  e pura
pra beber.
Vida! Vida! vida.


segunda-feira, 4 de abril de 2011

A casa de vidro

casa de vidro é a nossa

todos são vistos e nada dizem

a não ser fofoca.

falamos da vida dos outros

sem perceber que os outros estão olhando

vixe! mainha que disfarce!!

vamos lá , fale mal dos outros e veja

o amanhã.

terça-feira, 1 de março de 2011

O sino

o sino bate ao fim do dia e ao meio dia
o sino bate anunciando o meio mas, não o fim
talvez o começo.
 O sino da igreja é um sinal
da falta do bom senso para olhar o tempo
O sino bate e penetra nossos ouvidos
pena que muita gente não ouve.