segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

COISA ALGUMA


Nosso tempo exprime coisa alguma
Exprime talvez solidão, medo e reclusão
Nosso tempo é correr, correr para ter
Dinheiro e ilusão.
Nosso tempo é cruel
Engole nossa idéia de escolher entre sim e não
Ele não sabe do fim da tarde sem você.
Nosso tempo passou e não o vimos passar
Pois estávamos entre papeis e buzinas
Alucinados em quadrados.
Nosso tempo se foi
Nas nuvens de fumaça
Apagadas no ar
E este meu olhar perdido
Nem notou o tempo passar.
O nosso tempo
Já não é nosso
Talvez ele seja de um mago perverso
Que nós quer ver assim
Distantes
Feito pedras falantes
Que não se beijam, apenas se tocam
Como pedras frias........
Bem perto e tão longe
Talvez,  perdidos entre
Etiquetas e vitrines
Não sei  mais  onde
Quem sabe é
Louco.
A loucura do tempo
Sufocou nosso
Tempo  e nosso tempo  é pobre
Pobre tempo, que não dá tempo
Pra gente se despedir com tempo
Sempre há tempo  para sorrir
 e olhar para o lado a sentir
 o movimento da vida.
Que tempo é esse que foge de nós
Como ele é inteligente
Ele é veloz
Ele mata os sonhos
E adormece as forças
De guerra.
Nosso tempo é pobre
Pobre como as nossas atitudes
Pobre como nosso pensar
Pobre tempo
Que não conseguimos administrar
Tempo de coisa alguma
Tempo para acordar
E perceber que o tempo
Passa..passa..passa
E agente também
Passa..passa.passa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário